quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Avaliação: 4/5
Editora: Intrínseca / Cortesia
ISBN: 9788580578089
Gênero: Romance
Publicação: 2015
Páginas: 272
Skoob
Confesso que eu estava com baixas expectativas quando comecei a ler Surpreendente!. Antes deste, eu só tinha lido um livro do autor (esse aqui!), que não foi tudo o que eu esperava. Demorei para me conectar com a história, além de achar os personagens e os acontecimentos forçados em diversos momentos. Ainda bem que eu resolvi dar uma chance para o novo livro de Maurício Gomyde. Diferente da primeira experiência, com Surpreendente a conexão foi instantânea. Dessa vez, me identifiquei muito mais com o personagem principal e com a sua jornada, além do fato da cultura ter sido evidenciada como ferramenta de transformação social, coisa em que acredito cegamente.

Pedro é formado em cinema e acredita que os livros, os filmes e a arte têm o poder de transformar o ser humano. Dessa forma, ele investe seu tempo tentando mudar a vida das pessoas que ele conhece por meio da indicação de filmes e outros produtos culturais. Além de trabalhar em uma locadora em uma comunidade pobre, ele é mediador do último cineclube da cidade de São Paulo, que está ameaçado pela falta de lucro que a exibição de filmes clássicos causa. Ainda assim, ele não enfraquece seus ideais e sonha com o dia em que poderá fazer a diferença com seus próprios filmes. No momento, seu maior sonho é produzir um filme e ganhar o famoso prêmio “Cacau de Ouro”.

Depois de levar um “pé-na-bunda” do seu grande amor, o momento parece ser propício para focar no filme, o problema é que Pedro está sem inspiração nenhuma. Quer fazer o filme de sua vida, mas não tem ideia do seu conteúdo. Ele ainda está dentro do cronograma quando algo inesperado acontece. Ele nasceu com um problema na visão, capaz de deixá-lo cego em poucos anos. De alguma maneira, este problema se estabilizou e ele perdeu apenas 30% da visão, sendo considerado um “milagre” pelos médicos. Depois de anos, com a sua vida encaminhada, Pedro descobre que o problema retornou, com muito mais intensidade, e que em dois meses ele ficará completamente sem visão. Somado a outros acontecimentos, isso faz com que a vida de Pedro dê uma reviravolta e faz com que ele passe a questionar o sentido de tudo.
Com os amigos Fit, Mayla e Cristal, ele embarca em uma viagem que se tornará essencial para redescobrir a si mesmo. Rodeado de pessoas importantes em sua vida, ele refletirá sobre sua família, carreira, relações pessoais e crenças e buscará muitas respostas. Durante a jornada, é claro, todos os momentos são registrados nas câmeras. Enfim…, desde o início, achei que Pedro é um protagonista bastante real. Ele tem desejos, anseios, esperança, medo, entre tantos outros sentimentos que trazem identificação para o leitor. O que eu mais amei no livro foi a relação do personagem com o cinema, o fato dele acreditar que a arte pode sim mudar a vida de uma pessoa. A partir disso, o livro traz diversas citações de obras cinematográficas. Eu anotei todas e em breve pretendo assistir aos filmes que ainda não vi (tem de tudo, desde as animações O Rei Leão e Toy Story ao sanguinário – e incrível – Pulp Fiction).

A narrativa do autor, como eu já havia notado no outro livro que li dele, é muito ágil e dinâmica. As dicas de filmes tornam o livro ainda mais rápido de ler. Não sei se acontecerá o mesmo com vocês, mas eu avancei rapidamente nas páginas pela curiosidade de saber quais eram os próximos filmes que seriam citados. Outra coisa que torna a leitura bem rápida é a divisão dos capítulos, que, em sua maioria, são bem curtos.

O fato é que, além de ser rápida de ler, a obra traz uma combinação de elementos bacana (cultura, romance, aventura, drama etc.) e uma lição maravilhosa. Em sua jornada, Pedro irá descobrir que existem diversos obstáculos no caminho e que não é fácil passar por eles, mas que, no fim, tudo vale a pena. Além de que todas essas dificuldades são importantes para construir a sua personalidade, torná-lo quem você é. Também irá mostrar a importância da amizade e da família, presente para te reerguer quando você pensar em desistir, ao seu lado em todos os momentos difíceis.

O projeto gráfico do livro também vale ser mencionado, pois é muito bonito. Primeiro que a capa é linda – amo a figura e o significado do olho grego – e dentro, do lado da numeração de cada página, há uma pequena ilustração com o mesmo elemento da capa. As páginas são amareladas e, quando as partes são divididas, o livro conta com folhas azuis e citações que tenham relação com a história. Para finalizar, reafirmo que Surpreendente é um livro bom, que vale a pena ser lido. Claro que há algumas falhas. Em alguns momentos, por exemplo, achei que algumas coisas ficaram muito exageradas e um tanto forçadas, mas, ainda assim, é uma história bem legal de superação e autodescobrimento. 
Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: