terça-feira, 21 de julho de 2015

Avaliação: 4/5
Editora: Galera Record/Cortesia
ISBN: 9788501401410
Gênero: Jovem Adulto
Páginas: 240
Ano: 2015
Skoob

Mona acabou de ganhar a Terra em um jogo de pôquer e sem saber o que fazer, acaba dando-a a seu irresponsável e mimado filho Bob, que, com preguiça, cria tudo em seis dias e sem se importar com o que criou, logo depois deixa tudo sob a responsabilidade de seu assistente, o Sr. B – que aliás, fica revoltado com o fato de que Bob leva todo o crédito pelo trabalho que ele tem.


Sendo extremamente chato, egoísta e cheio de vontades – como todo adolescente – Bob não se dá com quase ninguém, e quando se apaixona por Lucy se vê em uma sinuca de bico, tentando de tudo para conquistá-la, mas sem sucesso. E, como todo adolescente que se importa mais consigo mesmo do que com o resto do mundo, o fato de Lucy rejeitá-lo é o maior de seus problemas e ele age como se fosse o fim do mundo – talvez literalmente, considerando que suas mudanças de humor afetam sua criação. 

Enquanto Bob vai atrás de sua obsessão amorosa sem se importar com mais nada, Sr. B fica pra trás para consertar suas burradas e tentar limpar toda a sujeira que o mimado garoto faz, mas, indignado ele simplesmente cansa de Bob. Cansa de fazer o trabalho dele e mal ser notado. Bob que se f#@$! E até seu animal de estimação passa por uma crise após Mona ter perdido no pôquer e ter dado ele como pagamento. 

Em resumo, o mundo está um caos e seu criador só quer saber de “entrar nas calças” da bonita Lucy, que sonha com um homem que vai amá-la pelo que é, não por sua aparência – que, convenhamos não é nada como Bob, que – mais uma vez, como todo adolescente – está com os hormônios à flor da pele e está mais interessado em sexo.


Com um senso de humor diabólico (pegaram  o trocadilho? hahaha) e uma trama inteligente e divertida, Meg nos apresenta um mundo que representa os caprichos de um adolescente e, não posso deixar de dizer que a descrição quase fez parecer verídico. O protagonista, apesar de irritante, egoísta e muito mimado é cativante e nos diverte com suas atitudes impensadas, sua insegurança e aquele típico dilema de “se eu não conseguir isso vou morrer” ou “quem liga pra fome do mundo? meu problema é maior” que fica bem engraçado visto de fora. 

Lucy é aquele tipo de personagem doce, linda, que sonha com um ideal romântico, mas que no fundo acha que nunca vai encontrar alguém e ainda tem uma mãe a pressionando por isso. Esses dilemas adolescentes, somando-se com os problemas do Sr. Bob que cansou de ser subjugado e com os sonhos impossíveis – ou quase –  de Lucy, temos um enredo engraçado, que faz troça da realidade e que pode causar aquela sensação de já passei por isso”

A trama pode ser um pouco confusa pelas constantes mudanças de foco, mas no momento em que se percebe o que tá acontecendo fica fácil de ler e a história flui muito bem. A narrativa é em terceira pessoa, mas como disse, muda de foco de maneira que ora companhamos Bob, ora Lucy e até o animal de estimação de Bob, Eck. 


Esse é o tipo de livro que, apesar de muito divertido, nos faz refletir e deixa aquelas famosas “pontas soltas” pra gente pensar de verdade. Além disso, não é uma trama tipica com um final comum, pelo contrário, é um tipo de livro inesperado. Então, apesar de parecer um livro bobo e sem sentido, ele tem aquela mensagem intrigante nele que nos faz pensar. E embora tenha lá seu sentido e sua inteligência por trás da trama, não é uma coisa que todo mundo vai perceber, então não é um livro que eu recomendo a todos. Pessoas religiosas principalmente não vão gostar muito do livro ou entender o sarcasmo e o humor das entrelinhas. 


Em suma, No início não havia Bob é um livro descontraído, divertido e cheio de sarcasmo nas entrelinhas. Completamente diferente dos livros “comuns” e que aborda um tema um tanto delicado, embora eu me atreva a dizer que a autora soube lidar com ele com maestria e criou uma trama muito inteligente. 

Por Larissa Gaigher


Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: