Avaliação: 5/5
Editora: nVersos
ISBN: 9788584440245
Gênero: Fantasia
Publicação: 2015
Páginas: 368
Skoob
O segundo volume da Trilogia Shiva, do autor Amish Tripathi, começa exatamente no ponto onde o volume anterior terminou. Shiva agora já sabe e aceita que é o Mahadeva, o Neelkanth, o salvador da Índia e do povo de Meluha, seu problema agora é outro: descobrir de onde realmente vem o mal. Quem é, verdadeiramente, o inimigo ali?

Todos os indícios – dentre eles a própria crença e preconceito do povo de Meluha – levam a crer que são os Nagas. Porém, como já foi precipitado antes e com isso acabou se equivocando com relação a culpa dos Chandravanshis nos atos terroristas contra o povo de Meluha, Shiva dessa vez decide agir com mais cautela, preferindo fazer uma investigação antes. Com isso, ele logo começa uma nova viagem pelo Império, a fim de conhecer melhor os povos que ali habitam. 

Em sua jornada, ele chega a Kashi, uma cidade que – teoricamente – abriga todos os tipos de povos sem que haja preconceito e onde nasce o filho de Shiva com Sati, o amor de sua vida. A questão é que, na verdade, Kashi não é tão sem preconceito assim, já que os moradores não aceitam os Brangas pelo único motivo de precisarem de um remédio Naga para sobreviver. Esse fato foi um adianto para Shiva, que, guiado por seu ódio contra os Nagas por terem matado seu quase irmão, precisava encontrar sua cidade, e os Brangas sabiam como chegar lá. 

Começa então a jornada de Shiva em sua procura pelos Nagas, e nessa jornada ele acaba por descobrir coisas que jamais imaginaria, não só sobre os próprios Nagas, mas com relação a sua esposa e seu sogro também. Coisas que vão mudar o rumo dos acontecimentos e mudar o próprio Shiva.

Como no primeiro volume dessa trilogia, Amish nos ganha pela incrível construção desse novo universo, repleto de uma rica cultura indiana, muito bem pesquisada e fundamentada. Além disso, a própria construção da história é surpreendente. Amish criou reviravoltas que eu nunca conseguiria prever, e que me deixaram satisfeitíssima com o novo rumo que deu aos acontecimentos. 

Outra coisa que me chama a atenção é o desenvolvimento dos personagens. Embora Shiva, teoricamente seja um deus, um salvador, ele ainda é humano, passível de erros e, como qualquer um, aprende e amadurece com eles. Adoro que Amish tenha dado esse tom crível aos personagens e tenha conseguido desenvolvê-los de uma maneira que começam de um jeito e durante a jornada se tornam outros.

Estou cada vez mais encantada com a história de Shiva e com a diversidade da cultura da Índia. Com uma narrativa simples e um enredo fantástico, Amish nos passa uma história na qual, como na vida, nada é preto no branco, tudo se mistura, e saber o que é certo e errado é uma tarefa árdua. Para amantes de uma boa história de fantasia, bem fundamentada e desenvolvida, essa é com certeza uma trilogia a ser explorada. 

Por Larissa Gaigher
Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: