sexta-feira, 5 de junho de 2015

Avaliação: 5/5

Editora: Geração Editorial/Cortesia
ISBN: 8575090119
Gênero: Contos e Crônicas
Publicação: 2001
Páginas: 276

A primeira vez que tive contato com alguma história sobre presídios brasileiros em geral foi por meio do filme Carandiru, de 2003. Lembro-me perfeitamente do choque que ele me causou, principalmente por relatar o massacre ocorrido em outubro de 1992, quando 111 presos foram mortos pela Polícia Militar de São Paulo na tentativa de controlar uma rebelião.


Em Pavilhão 9 pude novamente conhecer um pouco mais a história deste lugar. O livro é uma junção de contos, escritos pelo médico e presidiário Hosmany Ramos. Ele havia sido preso em 1981 após, segundo sua versão, ser acusado de um crime que não cometeu. A maior parte dos relatos é escrita em terceira pessoa, relatando o ponto de vista de outros personagens. Em outros contos, porém, a narrativa toma um viés quase autobiográfico, com Ramos falando sobre suas próprias experiências.

Apesar de alguns dos contos serem ficção, todos foram baseados em experiências vividas pelo escritor dentro do Carandiru. Os capítulos são curtos e escritos em uma linguagem bastante coloquial, mas isso não os faz mais fáceis de serem digeridos. Confesso que muitas vezes fazia uma pausa longa entre um capítulo e outro.

O primeiro capítulo, por exemplo, já relata a história de um estupro dentro de uma das celas. O escritor não faz questão nenhuma de esconder detalhes bastante pesados, inclusive no último capítulo, que dá nome ao livro, no qual descreve o dia que ocorreu o massacre. Por esses motivos, não recomendo a leitura para menores de idade e nem para aqueles com estômago fraco.

Apesar das cenas fortes, é bastante clara a mensagem que Hosmany Ramos pretende passar. O sistema carcerário brasileiro apresenta diversas falhas e só contribui para que sujeitos marginalizados se tornem cada vez mais violentos. Mesmo depois de serem liberados, a grande maioria acaba cometendo crimes novamente e voltando muito piores ao presídio. Resumindo, estamos tratando a violência com mais violência. Entretanto, uma solução para o problema não é apresentada na obra.


De maneira geral, este livro é bastante interessante para quem se interessa por histórias reais e por problemas sociais. Ramos possui uma boa narrativa e constrói bem os cenários e personagens. Alguns contos foram mais interessantes e relevantes do que outros, mas posso dizer que é um pouco de questão pessoal de cada leitor. Meu relato favorito foi justamente sobre o Massacre em 1992, história que sempre me causa bastante indignação.
Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. sexta-feira, 5 de junho de 2015.

    Narrativas que envolvem prisões são sempre muito pesadas. Filmes, séries e miniseries, não são diferentes. Eu acho que nunca li um livro com essa temática, mas assisti a série OZ, que traz questões muita "pesadas", por assim dizer.

    Na verdade lembrei que li o livro Orange Is the New Black e vejo a série também.

    Beijos!

  2. sábado, 6 de junho de 2015.

    Gostaria de conhecer esse livro, não conhecia e é a primeira resenha que vejo, que ficou ótima por sinal! Gosto de livros que trazem em seu enredo grupos que são marginalizados socialmente. Poxa, já me imagino lendo e fazendo uma relação com vigiar e punir.
    http://www.poesianaalma.com.br/

  3. sábado, 6 de junho de 2015.

    Oláá
    Adorei a sua resenha e essa história parece ser bem interessante, gostaria sim de saber mais então talvez eu leia se tiver oportunidade.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

  4. domingo, 7 de junho de 2015.

    Gente o.o Esse livro deve ser barra pesada, não sei se teria cabeça pra ler!
    http://www.belapsicose.com

  5. segunda-feira, 8 de junho de 2015.

    Oi, tudo bem?
    Esse é um tema tão complicado no Brasil, concordo com você, estamos tratando a violência com mais violência. Eu sinceramente nem sei o que dizer. As coisas chegaram a um nível, que fica até difícil opinar, enxergar uma saída.
    Pelo o que descreveu, confesso que não leria o livro, por ter descrições muito pesadas. Mas é uma realidade que não pode ser ignorada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

  6. segunda-feira, 8 de junho de 2015.

    Eu morro de vontade de ler esse livro! Essa temática sempre me intriga.
    Parabéns pela resenha!
    Beijos,
    http://www.clubedas6.com.br

  7. segunda-feira, 8 de junho de 2015.

    Tenho certeza que o livro é bom, mas no momento não estou interessada no seu conteúdo.
    Bjs, Rose.

  8. terça-feira, 9 de junho de 2015.

    Oi!
    Eu não conhecia esse livro e tipo, a capa dele é bem estranha, mas dá nome a obra, então, ele me aparenta ser uma narrativa beeeeeeeem pesada mesmo e eu nunca li nada que tenha pelo menos 50% com algo relacionado a prisão, porém, a história parece ser bem cativante e nos apresenta mais informações sobre celas e também o que as pessoas passam naquele lugar terrível! Adorei a resenha ♥

    Beijos,
    http://umgrandevicioliterario.blogspot.com.br/

  9. terça-feira, 9 de junho de 2015.

    Oii!

    Não conhecia esse livro e confesso que não me chamou muito a atenção.
    Não gosto muito de histórias desse gênero, mas vou guardar a dica 🙂
    Parabéns pela resenha ^^

    Beijos, Amanda
    http://www.vicio-de-leitura.com

  10. terça-feira, 9 de junho de 2015.

    Olá.
    Tudo bom?
    Infelizmente esse tipo de leitura não me atrai, então não sei se leria ele.
    Gostei da sua resenha.
    Beijos

  11. quinta-feira, 11 de junho de 2015.

    Oii, tudo bem? Gostei bastante da sua resenha, e realmente deve ser uma leitura bem pesada e não é para todos, acho que eu leria, pois nunca li nada do gênero e tenho certa curiosidade, mas seria uma leitura feita aos poucos para poder digerir todas as informações, pois como você disse, o autor não poupou os detalhes.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

  12. quinta-feira, 11 de junho de 2015.

    Olá! Ainda não tinha lido nada sobre este livro e embora eu tenha o estômago um pouco fraco fiquei com uma imensa vontade de ler. Por curiosidade claro, mas também por ser baseado em fatos reais. acho que é uma forma de olharmos para as realidades de nosso país, um meio. Que pode não ser totalmente real, mas que nos dá aquele choque. de que precisamos fazer muito mais do que estamos fazendo. (nem sei porque escrevi isso tudo, mas parabéns pela sua resenha. Ficou muito bem escrita! )

    Um abraço!
    http://www.pensamentosvalemouro.com.br
    http://nospoeticos.blogspot.com.br

  13. segunda-feira, 15 de junho de 2015.

    Oie, tudo bom?
    Leituras como essa fazem com que a gente pense um pouco sobre o sistema carcerário brasileiro. É uma leitura que eu faria, mesmo com os trechos mais pesados.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

  14. terça-feira, 16 de junho de 2015.

    Olá. Gostei muito da premissa do livro. Gosto de livros pesados e este realmente parece ser assim. Fiquei curiosa para ler mas no momento não é a leitura ideal.
    Mesmo assim, parabéns pela resenha.
    Beijos, sucesso.

Comentários no Facebook