terça-feira, 10 de março de 2015

Avaliação: 5/5
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501052810
Gênero: Distopia
Publicação: 2015
Páginas: 287
Skoob

Atenção: Essa resenha contém spoilers do livro anterior!

Quando você acha que tudo vai ficar bem com os 100, e que agora você conseguiu desvendar os mistérios,  vem a Kass Morgan e bagunça tudo de novo. Esse foi meu sentimento sobre Dia 21, o segundo volume da saga The 100. Quando eu achei que tinha sacado tudo, levei uma rasteira, mas uma ótima rasteira por sinal.

 
Dia 21 começa exatamente onde o primeiro livro acabou, o momento após o ataque ao acampamento  que ocasionou na morte de Asher, um dos 100 enviados a Terra. Este ataque os abalou muito, afinal eles acreditavam que eram os únicos habitantes na Terra e agora descobriram que podem não estarem sozinhos, que alguns seres humanos tenham conseguindo sobreviver ao Cataclismo, e não parecem nada contentes com a presença dos 100.
 
Senti muito mais o desespero dos personagens neste livro, pois além dos dramas na Terra, temos os dramas na Colônia (nave), narrados pela Glass, uma das 100 que acabou conseguindo escapar da missão e permaneceu na nave para ficar ao lado de Luke, seu grande amor. Os recursos estão cada vez mais escassos na nave, e o “governo” acaba por tomar medidas drásticas para garantir o bem estar de parte da população. Então, os capítulos da Glass, que no primeiro livro eram muito mais recheados de romance, neste segundo ficam muito mais interessantes, pois podemos de fato ver a situação da nave, como eles estão sobrevivendo com os recursos cada vez mais baixos, e a injustiça que ocorre na hora de decidir quem deve ou não sobreviver; o que me fez refletir muito sobre como decidiram quem teria lugar na nave no momento em que a destruição na Terra começou.
 
Na Terra muitas história secundárias se desenvolvem, alguns romances se solidificam, enquanto outros parecem não ter mais chance de acontecer. Para quem, assim como eu, torcia para ver Wells com a Clarke, foi decepcionante ver ela nos braços de Bellamy na maior parte da história, o que era bem claro que ia acontecer, já que os dois tem uma química muito forte. O que me incomodou muito foi a indecisão da Clarke, ela que é uma garota tão forte e esperta, ficou meio sem graça, na minha opinião. Ela insiste em culpar Wells por tudo, mas quando Bellamy a afasta, ela volta a se aproximar de Wells, e isso me irritou muito.
Deixando o amor adolescente de lado, o que realmente foi o ápice da história foi a entrada de Sasha, uma personagem incrível e que eu adorei já em suas primeiras frases. Não posso dar muitos detalhes sobre a garota, pois seria um spoiler, e eu não quero estragar a experiência de leitura de ninguém. Enfim, o que posso adiantar é que sim, temos mais humanos na Terra além dos 100, e que alguns deles não são muito amigáveis e estão dispostos a afastar quem ousar invadir seu espaço.
 
A escrita da autora continua ótima, Kass Morgan sabe como nos prender a uma história, e também sabe como fazer  umas reviravoltas que te deixam de queixo caído. Os capítulos, assim como no primeiro livro, continuam sendo revezados entre os personagens principais, o que eu adoro, pois assim não ficamos presos a visão de um só personagem. A edição também continua muito bonita, as capas de Os Escolhidos e Dia 21 são as mais bonitas da minha estante, eu realmente tenho um carinho muito especial por elas.
 

Entre dramas adolescentes e as novas descobertas sobre a Terra, Dia 21 foi uma continuação muito boa, ouso dizer que foi ainda melhor que o primeiro, já que agora tenho mais conhecimento sobre os personagens e a história está ficando cada vez mais interessante. Por esse e outros motivos, o livro mantêm uma ótima média na minha opinião, leva novamente 5 estrelas por me ter feito ler feito uma doida e por fazer meu domingo muito mais divertido, além de de que, neste momento, eu realmente preciso da continuação para ontem! Então, Kass, bora trabalhar nisso logo, porque eu necessito saber o que vai acontecer! rsrs

“Ela havia acabado de salvar centenas de vidas –e de encurtar drasticamente outras centenas. Incluindo a sua própria.”

“Foi… uma decisão difícil de tomar. Eu sabia que quase todos eram boas pessoas. E sabia que não tinham muita chance de sobreviverem lá fora sozinhos. Mas nunca pensei que, quando eu anunciasse a decisão, eles iriam contra-atacar. E é claro que, depois daquilo, precisei defender meu povo. Não tive escolha.”

Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe uma resposta

  1. quarta-feira, 18 de março de 2015.

    Oi, tudo bom?

    Gostei bastante da resenha, o livro me lembrou um cado de Maze Runner com uma pegada volta mais para a ficção científica fantástica, é muito bom os livros que nos surpreendem, como este, você pensa que a situação é uma mas ai do nada acontece uma reviravolta, gostei bastante

    Gustavo http://realityofbooks.blogspot.com.br/

  2. quinta-feira, 19 de março de 2015.

    Poxa, não quis nem ler a resenha toda porque não li o 1° volume dessa série, e evito spoilers a qualquer custo hehe (mas sei que ganhou uma adaptação pra série de tv, não é?), MASSS em compensação li as resenhas de Os Judeus do Papa (Seg. Guerra é um assunto que adoro, e até agora eu realmente achava que a Igreja tinha sido um tanto quanto omissa com relação aos judeus), A Filha do Sangue (já li e amei muito!) e Battçe Royale! Simplesmente amo o mangá (estou enrolando há mais de ano com o último volume ainda não lido, de tanto que gosto hahaha) e fiquei muito irritada quando a febre Jogos Vorazes estourou, pois pra mim, é uma imitação deslavada de BR, que é maravilhoso (pelo menos o mangá é, o livro então deve ser melhor ainda, seguindo a regra). Hoje já tolero mais Jogos Vorazes, vi o 1° filme e gostei, mas ainda acho que é uma cópia, mesmo que as competições tenham diferenças entre si >:(
    Besos!

  3. quinta-feira, 19 de março de 2015.

    só pela sinopse o livro já me conquistou, gosto desse tipo de enredo, não conhecia a editora e nem o título, os dois estão bem anotados 🙂 o último livro que eu livro sobre ficção foi: Androides sonham com ovelhas elétricas? Obs: super indico esse livro.

    http://palavrasdelucidez.com.br/

  4. quinta-feira, 19 de março de 2015.

    OOoi,

    Eu não li ainda essa série sabe?
    Tenho curiosidade de conhecer a escrita da autora, parece ser ótima e bem envolvente. Sempre leio elogios para esse volume, mas não tenho vontade de ler no momento.
    Fiquei surpresa em ver que na sua opinião ele é melhor que o primeiro livro :O é dificil isso acontecer!

    Beijinhos,
    http://www.entrechocolatesemusicas.com

  5. sexta-feira, 20 de março de 2015.

    Oi Tayara!
    Primeiro de tudo, amei a sua foto! Não tem coisa melhor do que um livro, um chocolate quente e biscoitinhos, né?
    Esse é bem o tipo de livro que eu gosto, ficção científica em um mundo distópico! Adorei a dica!

    Beijos,
    Fernanda
    http://oprazerdaliteratura.blogspot.com.br/

  6. sexta-feira, 20 de março de 2015.

    Pulei alguns trechos da resenha para não pegar spoiler, pois ainda quero ler o primeiro livro dessa série assim que possível!! Adorei a foto e saber que a narração da autora é tão boa assim 😉

    xoxo
    http://www.amigadaleitora.com/

  7. sexta-feira, 20 de março de 2015.

    Oi, tudo bem?
    Esse gênero de livro normalmente não me desperta muito o interesse, sou mais adepta dos romances e fantasias, mas está todo mundo falando tão bem da narrativa da autora que estou pensando em dar uma chance! Não acompanho a série de tv por falta de tempo, mas amo ler livros que tem relação com as séries.
    Adorei a resenha1
    Beijos

  8. sábado, 21 de março de 2015.

    Não dá pra acompanhar muito porque não li o primeiro livro da saga, mas amo sagas que quando menos se espera nos surpreende e nos faz desesperar como você disse que esse fez. Me interessei pela saga e assim que puder vou adquirir para ler.
    Beijos,
    http://anamatosferreira.blogspot.com.br/

  9. sábado, 21 de março de 2015.

    Olá, tudo bem?

    Eu acho as capas dessa série lindas, mas uma coisa que me incomoda é quando as editoras não seguem um padrão sobre imagens ou títulos de séries. No primeiro colocam o título em inglês (The 100) e no segundo em português, tipo, sei que é pouca coisa, mas eu me sinto incomodado com isso e muito mais quando mudam totalmente, como foi o caso de The Curse Workers que teve o primeiro e segundo volume com um estilo de capa e o terceiro com uma capa completamente diferente das demais, é osso. Eu comecei a ver a série de TV antes de ler os livros e acabei não gostando, por isso acho que não vou ler, mesmo que algumas coisas sejam bem diferentes, como o destino do Wells. Também odeio quando as protagonistas são um poço de indecisão, dá vontade e entrar no livro e dar uns tabefes nela HAHAHA

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor – http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: