quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Avaliação: 5/5
Editora: Martins Fontes
Gênero: HQ
ISBN: 9788580631258
Publicação: 2013
Páginas: 160
Skoob
Antes de conhecer Emma, a vida de Clémentine era cinza e a jovem não sabia o porquê. Ela estudava para as provas finais e tinha um namorado, mas não sentia-se feliz, era tudo sem graça, sem cores. Certo dia ela cruza na rua com esta garota desconhecida de cabelos azuis e tudo se confunde em sua cabeça. A crise da adolescência, o preconceito e medo da não aceitação somados às dúvidas sobre a sexualidade são contados a nós, leitores, através do diário que Clémentine escrevia quase que religiosamente.

“Eu me sinto perdida, sozinha, no fundo de um abismo. Não sei o que fazer, e tenho a impressão de que tudo o que faço nesse momento é antinatural… Contra a minha natureza. Mas por que essa vida serve para os outros e não serve para mim?”


Em um bar, depois de por dias não conseguir tirar aquela estranha da cabeça, a garota acaba a encontrando. Emma e seus cabelos azuis despertam algo completamente novo em Clémentine e elas começam a se relacionar, porém Emma possui uma namorada, dificultando a relação.

Reflexões sobre o amor, o amadurecimento e a sexualidade são contadas de forma muito intimista, simples e delicada, com personagens de notável profundidade e os traços dos desenhos, extremamente envolventes.
Se você nunca leu uma HQ, acredite, aqui está um bom começo. A história cai em alguns clichês melodramáticos, principalmente no final um tanto apelativo e, na minha opinião, corrido; mas é uma bela história sobre como a adolescência é devastadora e crucial em nossas vidas.

Os jovens estão sempre rodeados de clichês, retratados de forma caricata e sempre muito previsível; assim como o sexo. É bom encontrar algumas raridades que falem de igual com o jovem que está se conhecendo, experimentando, que está em dúvida e principalmente, começando a dar seus primeiros passos como quem realmente é.

Gosto da delicadeza do HQ, de como mostra a evolução da personagem, seu amadurecimento. Os belos desenhos e o fato do livro todo ser monocromático, como a vida de Clémentine, mas que ganha vida e cor com o azul radiante de Emma é digno de ser notado. Colocar em discussão questões como aceitação e liberdade são um ponto também importante, o amor é mais do que nos ensinam.

A edição da Editora Martins Fontes é muito bem feita, uma bela impressão em papel couché, revisão muito cuidadosa, capa com um leve relevo e lindas cores. Bom preço, é um bonito livro para se ter e para dar de presente. Este não é um cânone da literatura moderna, tem muitos coisas boas e também algumas ruins, ainda assim, recomendo fortemente a leitura para todos, principalmente como eu li, debaixo das cobertas com chá e cookies (;

“Clém, terrível são as pessoas se matando por petróleo, as pessoas responsáveis por genocídios… E não querer dar amar a uma pessoa.”

“Só o amor pode salvar o mundo. Por que eu teria vergonha de amar?”

Livro Vs. Filme

O filme causou grande comoção nas amostras e foi muito elogiado, dando grande visibilidade para as atrizes e também o diretor. Diversas polêmicas nos bastidores do filme também aconteceram, não possibilitando sua continuação.

Muitas pessoas não gostaram, mas particularmente eu, gostei bastante. É um filme talvez muito longo, nos traz coisas do HQ, mas também elementos novos. As atuações são fantásticas, as cenas de sexo são explícitas (mesmo assim de bom gosto e necessárias) e o envolvimento com as personagens é muito grande. O filme trouxe para mim uma intimidade com Adèle (Clémentine) sem igual, cenas e uma forma de retratar onde realmente entramos na vida dela singularmente. Eu também recomendo fortemente se você for maior de 18 anos ou se tiver autorização. Você confere o trailer aqui.

Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. quinta-feira, 15 de janeiro de 2015.

    Oi, tudo bem? Eu ainda não li a HQ e nem vi o filme, mas fico curiosa porque, bom, meu cabelo é azul IUHAOEUHEAUHEAUI E teve uma polemica há alguns meses sobre o filme e meninas de cabelo azul. Isso despertou bastante minha curiosidade. Não sei se vou curtir tanto a HQ, pois não sou muito fã mas talvez goste do filme. Espero curtir.
    Beijos.
    Blog Cantar Em Verso

  2. segunda-feira, 19 de janeiro de 2015.

    Oi, Amanda! Já li algumas resenhas sobre a HQ e fico com vontade de comprar, mas, depois que vi o filme, fiquei menos a fim de ler a HQ. Ainda não sei definir se gostei, ou não, do longa, pois me sinto ainda muito dividida, por conta de algumas partes. Na minha opinião, a Adele era apenas uma menina que não se satisfazia com amor nenhum (tanto é que, depois, ela acaba traindo a Emma) e só queria ser aceita por qualquer um, e a Emma, por um tempo, serviu para isso. Não vi muito amor entre elas, apenas muito desejo e só. Mas acho que é um grande filme, não digo que é ruim, ou horrível. Só não sei se ele é incrível a ponto de ser o melhor que já vi sobre homossexualidade. Além do mais, achei que ele deixou muitos furos.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

Comentários no Facebook