terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Avaliação: 5/5
Editora: Globo Livros
ISBN: 9788525056122
Gênero: Distopia
/ Terror
Publicação: 2014
Páginas: 663
Skoob
Desde o lançamento deste livro eu estava com muita vontade de lê-lo, minhas expectativas estavam lá no alto. Enfim, após muito tempo namorando, resolvi comprar, e não me decepcionei. Battle Royale é uma história incrível!

A história se passa em uma país totalitário, um lugar onde o governo mantêm seus cidadãos sob rédeas muito firmes. Este governo, com o intuito de preparar seus jovens e analisar seu comportamento em situações extremas,  tem a brilhante ideia de criar um programa, no qual garotos do 9º ano do ensino fundamental  são aprisionados em uma ilha, com o objetivo de matar uns aos outros (mas que ideia sensacional, não?!).

O que fica bem claro para nós é que essa história de analisar comportamentos, estudar e preparar os jovens, não passa de uma maneira de controlar seu povo, mostrando que eles tem o poder , que eles mandam, e se quiserem pegam seus filhos e os jogam para morrer. É uma maneira de manter a população amedrontada e seguindo seu regime totalitário.

Este ano, a turma selecionada é a turma B do 9º ano da escola de ensino fundamental Shiroiwa, da Província de Kawaga. Os alunos não fazem ideia do que esta prestes a acontecer com suas vidas, quando partem para um passeio escolar, acreditando que é só mais um passeio, mais uma diversão.


No meio do caminho, Shuya, um dos estudantes, começa a notar algo estranho, seus colegas começam a dormir rapidamente, mas está muito cedo. Ele mesmo se sente um pouco sonolento e dorme. Ao acordarem, eles percebem que estão  em uma sala de aula com uma espécie de coleira no pescoço. Era o começo do jogo.

Após algumas explicações de um homem chamado Sakamochi, eles entendem o que aconteceu, e descobrem que infelizmente são a turma selecionada para participar do programa. Cada estudante recebe uma arma, desde um garfo, até uma potente metralhadora, fuzil e etc. Agora, soltos na ilha, têm de sobreviver matando uns aos outros. Só um poderá sair vivo da ilha.

Na história temos a visão de vários estudantes, vemos como cada um se sente em relação a isso. Uns se negam a entrar no jogo, enquanto outros matam deliberadamente. É impressionante a maneira como o autor construiu os personagens, colocando em cada aluno um motivo para matar, ou para se negar a fazer isso. O estado de loucura em que eles chegam a ficar é angustiante, não se pode confiar mais em ninguém.

“Havia uma atmosfera diferente no interior do ônibus. Ele ouvia a respiração Yoshitoki a seu lado, que de repente caíra no sono. O corpo de Shinji Mimura estava inclinado do assento para o lado do corredor. Noriko Nakawaga também tinha cerrado os olhos. Todas as conversas haviam cessado. Aparentemente todos dormiam. De fato, seria a hora de pessoas saudáveis estarem indo para a cama, mas a tão esperada excursão mal começara. Não era muito cedo para dormir? Vamos, pessoal, cantem alguma canção! Não tem neste ônibus nenhuma daquelas máquinas de karaokê de mau gosto que eu tanto odeio?, Shuya pensou.”

A trama é bem parecida com a de Jogos Vorazes em alguns aspectos, mas certamente Katnnis Everdeen não sobreviveria nenhum dia no programa de Battle Royale. O livro é mais violento, descreve as mortes de maneira muito gráfica, isso no início me incomodou um pouco, mas logo me acostumei.

É uma história muito boa, muito bem escrita, nos mostra até que ponto uma pessoa pode chegar sendo exposta a situações extremas. A edição da Globo Livros está muito bonita, traz até uma lista de chamadas com os nomes e numeração de cada aluno, o que facilita bastante, pois os nomes japoneses são muito difíceis e diferentes. Além de fazer uma contagem dos sobreviventes, cada capítulo termina com o número de alunos restantes.

O livro é bem grosso, mas é uma leitura muito rápida. Battle Royale leva 5 estrelas, por ser uma obra completa e muito bem escrita.
Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe uma resposta

  1. terça-feira, 6 de janeiro de 2015.

    Que resenha show Tayara!! Estou pensando seriamente em encarar esse livro… mas tenho medo de não ter muito estômago para as mortes… que devem ser muiiiiiitas, né? E o que é melhor de tudo: um livro só!! Nada de séries longas e que demoram uma eternidade para continuar. Enfim, adorei!!

    Beijos!!!!!!

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: