domingo, 4 de Janeiro de 2015

Avaliação: 4/5 Editora: Novo Conceito ISBN: 9788581633145 Gênero: Click-lit, Romance Publicação: 2013 Páginas: 320 Skoob

Depois de um tempo parado na minha estante, finalmente li O presente, de Cecelia Ahern. Realizei a leitura logo após o Natal e fico feliz de tê-lo lido nesta época, já que ele passa uma bonita lição de final de ano e provoca questionamentos sobre como temos agido e tratado as pessoas que nos cercam.

Lou Suffern é um irlandês muito bem sucedido. Além de um cargo muito bom, ele tem uma mulher muito bonita e dois filhos pequenos. Além disso, sua família é bastante unida. O problema é que há tempos ele dá mais valor ao trabalho do que às pessoas amadas que o rodeiam. Ignora a esposa, que faz de tudo para cuidar da casa e manter o relacionamento; passa tempos sem visitar os pais e encontrar os irmãos; perde apresentações escolares da filha; e, desde que o caçula nasceu, há cerca de um ano, não o pegou no colo nenhuma vez.

Tudo para ele refere-se aos compromissos do trabalho. Lou tem sempre dois lugares para ir, está sempre correndo contra o tempo. Agora, está se dedicando ainda mais ao emprego, pois tem em vista uma promoção e precisa sobressair-se ao rival Alfred. Além disso, quando não está em casa, nem está trabalhando, há grandes chances de estar em companhia de alguma moça bonita, enquanto a sua esposa faz de tudo para manter a casa em ordem.

Um dia, chegando ao trabalho em um dia típico de inverno, Lou repara em um morador de rua sentado ao lado do edifício onde trabalha. Ao oferecer-lhe um café, os dois começam a conversar e Lou fica intrigado com as informações sobre os seus colegas de trabalho que o homem muito observador, Gabe, repassa a ele. Como uma chance de manter um olho em seus rivais, Lou oferece um emprego a Gabe.

Foto: Camila Tebet / Viagens de Papel

Gabe se adapta muito bem ao novo emprego e logo sua presença passa a incomodar Lou, já que ele parece estar sempre em vários lugares ao mesmo tempo e sabe coisas a seu respeito que ninguém mais sabe. Além disso, está sempre dizendo coisas que se encaixam muito bem na vida de Lou e o fazem refletir a respeito de como ele tem vivido e se está dando importância para as coisas que realmente importam.

Foto: Camila Tebet / Viagens de Papel

O presente foi uma ótima leitura de final de ano. De leitura extremamente rápida, o livro encanta pelas mensagens que transmite. Ao virar a última página, percebemos que o tempo é um de nossos bens mais preciosos e precisamos administrá-lo bem, utilizando-o com o que realmente importa. A vida é um sopro e o que Cecelia Ahern busca passar é que o melhor que podemos fazer é chegar ao final com o mínimo de arrependimentos. Assim, a leitura provoca uma série de reflexões no leitor. Afinal, será que estamos vivendo uma vida plena? No fim, o que ficará são os bons momentos passados com as pessoas que amamos.

O protagonista da obra é muito bem construído, realmente odioso. Ao longo da leitura, o sentimento de repugnância a Lou é forte, ao mesmo tempo em que a esperança de transformação cresce. É impossível não se identificar ao menos um pouco com Lou e pensar também nas mudanças que precisam ser feitas em nossas próprias vidas. Além da narrativa ser bastante fluída, a história comove, tendo uma forte carga de emoção. Recomendo a todos que buscam uma história bonita e com diversos questionamentos.

Foto: Camila Tebet / Viagens de Papel

“Às vezes é preciso se entregar a alguém para perceber quem você realmente é. Às vezes é preciso remexer as coisas para chegar ao âmago”
“Os caminhos ficam muito mais claros quando as pessoas param de dar atenção ao que os outros estão fazendo e concentram-se em si mesmas”
“O tempo não pode ser dado. Mas pode ser compartilhado”

Sobre o autor
Camila Tebet
Camila Tebet

Camila Tebet, 24 anos (05/06) – Paraná
Jornalista, tem a literatura como uma de suas paixões. Acredita que os livros têm o poder de transformar e falar sobre essa arte é um de seus passatempos favoritos. Entre os seus livros favoritos estão “Harry Potter” (é claro), “Na Natureza Selvagem”, “Orgulho e Preconceito” e “A Menina Que Roubava Livros”. Também é apaixonada por séries, cinema e fotografia. Escreve também para o site www.expressocultural.com.



Deixe uma resposta

  1. domingo, 4 de Janeiro de 2015.

    Olá, Camila.

    Muito bonita essa última quote do tempo, realmente podemos compartilhar o nosso com pessoas queridas. Esses dias li meu primeiro livro da Cecelia e gostei bastante. Esse livro deve realmente passar uma bonita mensagem, fiquei pensando aqui no Lou e se ele se resolveu no final.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio Fim de ano

  2. domingo, 4 de Janeiro de 2015.

    Ainda não li nenhum livro da Cecelia Ahern, apesar de ter dois em casa. Achei a capa muito bonita e o livro parece que passa uma verdadeira lição de vida. Fiquei curiosa em saber o final da história.

    Beijos!!

  3. segunda-feira, 5 de Janeiro de 2015.

    A lição que o livro passa é bem bonita. Que livro você leu da autora? Estou anotando outras dicas 🙂 Se for ler "O Presente", depois vem me contar o que achou! Beijos!

  4. segunda-feira, 5 de Janeiro de 2015.

    A capa é mesmo muito bonita, apesar de não ter muito a ver com a história… Se for ler, depois me conte o que achou do livro 🙂 Beijos!!

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: