Olá, pessoal!

O blog passou por muitas mudanças no fim do ano, a equipe cresceu, trocamos de nome e, como merecido,  ganhamos um novo visual.

Para relembrar de 2014, a equipe elegeu para vocês as melhores leituras do ano.

Amanda Angelozzi

1. Laços de Família, de Clarice Lispector (Rocco)
2. O Mal-Estar na Cultura, de Sigmund Freud (L&PM)
3. Paris é uma Festa, de Ernest Hemingway (Bertrand Brasil)
4. Poética, de Ana Cristina Cesar (Companhia das Letras)
5. Mulheres, de Charles Bukowski  (L&PM)

Na verdade, meu melhor do ano é um livro que eu já tinha lido algumas vezes. Clarice é uma das minhas escritoras preferidas, este ano fiz uma matéria sobre ela na faculdade, então debrucei-me muito mais atentamente em sua obra. Foi como lê-la pela primeira vez, como esta mulher é incrível! Este é um livro de contos publicado em 1964. Ele tem como maioria das personagens centrais, mulheres de classe média alta, problematizando questões do patriarcado e psicológicas, tudo de uma maneira muito sutil, mas certeira. Umas das marcas da Clarice, que a gente vê muito nesse livro, é a questão do olhar e reviravolta. Primeiro há uma situação de estabilidade, de repente a personagem vê algo que faz toda a situação mudar, tendo finais surpreendentes. Também têm as riquezas daquilo que ela escreve sem escrever, as entrelinhas do texto, que são fantásticas. Sou suspeita, adoro este entrar da Clarice no que há de mais interior no ser, o quanto ela é profunda fazendo a gente pensar, tocando nas nossas feridas muitas vezes, linguagem que ninguém conseguiu alcançar até hoje, na minha opinião. Eu recomendo fortemente! Destaco os contos: Amor, A Imitação da Rosa, O Búfalo, Feliz Aniversário e Uma Galinha.


Caio César

1. A Menina Que Roubava Livros, de Markuz Zusak (Intríseca)
2. O Código da Vinci e O Símbolo Perdido, de Dan Brown (Sextante)
3. Os Três Mosqueteiros, de Alexandre Dumas (Zahar)
4. O Último Judeu, de Noah Gordon (Rocco)
5. O Corcunda de Notre Dame, de Victor Hugo (Zahar)

Foi bem difícil decidir qual foi minha melhor leitura esse ano, mas vamos lá! Escolhi A Menina Que Roubava Livros porque é um dos livros mais completos que já li. Tenho certeza que a maioria de vocês já devem ter lido o livro ou, no mínimo, ter visto o filme que lançou a pouco tempo atrás, mas mesmo assim tenho que explicar o motivo de eu o ter escolhido. O livro é narrado pela Morte. Isso mesmo, pela Morte. Foi uma ideia genial de Markuz Zusak. A Morte narrou a história de forma onisciente com Liesel Memimger, uma pequena garotinha que foi adotada, juntamente com seu irmão, que morreu no início da narrativa, por duas pessoas que mais estavam pensando no dinheiro que receberiam do que nas crianças, mas que no fim a amam mais que as próprias vidas. A história se passa na Segunda Guerra Mundial e sinceramente não sei se há algum livro que nos mostre como era o contexto social na época de maneira mais fiel que A Menina Que Roubava Livros. Pode-se dizer que Liesel começa uma nova vida. Se apaixona por um Judeu, que se tornou seu melhor amigo. Mostra para os meninos de sua rua quem era a melhor jogadora de futebol. Cria coragem e passa a roubar um livro por vez da casa do prefeito e se torna uma mulher perfeita, que passou por poucas e boas na vida, antes de a morte finalmente a encontrar.


Camila Tebet

1. Na Natureza Selvagem, de Jon Krakauer (Companhia das Letras)
2. O Lobo do Mar, de Jack London (Zahar)
3. Holocausto Brasileiro, de Daniela Arbex (Geração Editorial)
4. Ligue os Pontos e Put Some Farofa, de Gregorio Duvivier (Companhia das Letras)
5. Laranja Mecânica, de Anthony Burgess (Aleph)

Acho que muitos de vocês já ouviram falar do filme Na Natureza Selvagem. Foi assim, inclusive, que conheci a história. Depois que assisti ao filme (maravilhoso, por sinal), descobri que o longa é baseado em um livro. Não levou muito tempo para que eu realizasse a leitura, que se tornou um dos meus favoritos da vida. Definitivamente, é uma obra que irei reler várias vezes. O livro traz um relato jornalístico da história de Christopher McCandles, o adolescente que largou a família e os bens materiais para cumprir uma jornada no meio da natureza do Alasca. Escrito pelo jornalista Jon Krakauer, o livro narra a jornada de Chris e se baseia em depoimentos da família e de amigos para traçar o perfil do jovem. Além disso, apresenta vários documentos e relatos escritos por ele, como cartas e trechos do diário feito enquanto estava no Alasca. A obra me fez refletir sobre diversos aspectos da minha vida. Um dos momentos mais marcantes e emocionantes foi a carta que Chris deixou para o amigo Ron. No texto, ele diz que para viver uma vida plena é preciso fugir do conformismo, da estagnação, buscar sempre uma nova aventura. É extraordinário, mais do que recomendado.


Melissa Tebet

1. Harry Potter e a Ordem da Fênix, de J. K. Rowling (Rocco)
2. Harry Potter e as Relíquias da Morte, de J. K. Rowling (Rocco)
3. O Ladrão de Raios, de Rick Riordan (Intrínseca)
4. Fazendo meu Filme, de Paula Pimenta (Galera Record)
5. O Mágico de Oz, de L. Fank Baum (Zahar)

Harry Potter é uma das minhas séries favoritas. Comecei a ler no ano passado e terminei neste ano. Este livro foi o que mais gostei da série, pois representa um ponto de mudança na história, que se torna mais sombria. Apesar disso, muitas das passagens foram engraçadas, divertindoo e deixando a trama mais leve.











Patrícia Oliveira

1. A Lista do Nunca, de Koethi Zan (Paralela)
2. O Trem dos Órfãos, de Christina Baker Kline (Planeta do Brasil)
3. Escravas de Coragemde Kathleen Grissom (Arqueiro)
4. A Filha do Sangue, de Anne Bishop (Saída de Emergência Brasil) 
5. Reconstruindo Amelia, de Kimberly McCreight (Arqueiro)


A leitura que mais me marcou durante o ano foi as duas acabam sendo , a obra de Koethi Zan é muito bem escrita e desenvolvida, a trama é forte e impactante, o livro gira em torno do rapto de duas amigas, Sarah e Jennifer, que desde a infância procuraram evitar o perigo a todo custo. Um pouco antes de encarar a vida universitária, elas reforçam suas crenças na “lista do nunca”- onde documentaram tudo o que nunca poderiam fazer para estarem seguras. Entretanto, as duas acabam são sequestradas por um psicopata, mantidas cativas em um porão com outras duas garotas. Após três anos Sarah consegue escapar e. logo assume uma nova identidade sob a proteção do FBI, vivendo reclusa da sociedade. A obra me fez refletir sobre diversas situações, às vezes, o perigo esta tão próximo de nós que não vemos, acreditamos no que queremos sem ao menos se questionar, deixamos de viver por medo ou vivemos demais sem temer a nada. A narrativa é perturbadora, intensa e vívida, impossível na mergulhar de cabeça no drama vivido por Sarah.



Tayara Casemiro

1. Psicose, de Robert Bloch (DarkSide)
2. Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick (Intrínseca)
3. Minha Metade Silenciosa, de Andrew Smith (Gutenberg)
4. Todo Dia, de Davit Levithan (Galera Record)
5. Como eu era antes de Você, de Jojo Moyes (Intrínseca)

De todas as leituras de 2014, a que mais me marcou sem dúvida foi a obra prima Psicose, do autor Robert Bloch, digo isso com toda a certeza, tive ótimas leituras este ano, mas Psicose mexeu muito comigo. A história se passa no Bates Motel, onde um crime acontece e a partir deste fato a trama se desenvolve. Somos apresentados a Norman Bates, e a sua mãe Norma, dois personagens incríveis e que nos fazem ficar totalmente presos a leitura. Nunca tinha lido um livro tão completo e tão bem escrito, tive muito receio ao falar sobre a obra, pois tinha medo de não passar toda a maravilha que este livro é com as minhas palavras. Vocês podem achar que estou exagerando, mas realmente tenho este livro como um divisor de águas, como nunca tinha lido algo assim, creio que após esta leitura meu olhar crítico mudou, e até nas minhas avaliações, antes tinha o costume de dar 5 estrelas para todos os livros que me agradavam, mas agora dou 5 estrelas para as obras que realmente me tocam e me deixam sem palavras. Psicose é o melhor livro de 2014, e com certeza entra no top 10 da vida, se vocês não leram leiam, pois, tenho certeza que também será uma leitura incrível para vocês, de todos os livros que indico este é o melhor. 


Feliz 2015!
Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe uma resposta

  1. sábado, 3 de janeiro de 2015.

    Eu adorei as mudanças no blog, está tudo muito lindo e organizado!
    Gostei de conhecer as melhores leituras de cada um, é interessante ver como cada um tem um gosto diferente e isso é muito legal!! Li poucos livros que vcs citaram, mas alguns me chamaram atenção e vão pra minha lista: A Lista do Nunca e Na Natureza Selvagem.

    Beijos!!

  2. domingo, 4 de janeiro de 2015.

    Olá, pessoas.

    Teve apenas duas pessoas que escolheram livros que eu já li, que foi a Tayara e a Melissa.
    Das outras listas eu fiquei bem curiosa o porque esses livros foram selecionados e com certeza alguns eu irei comprar.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio Fim de ano

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: