terça-feira, 18 de novembro de 2014

Avaliação: 3/5 Editora: Geração Editorial, Cortesia ISBN: 9788581302485 Gênero: Romance Publicação: 2014 Páginas: 240 Skoob

É dia de jogo do Brasil, em meados de 1950, quando durante a missa em louvor à Santa Rita dos Impossíveis, ouviu-se um barulho de explosão em Todavia, um “pipoco” muito alto, mas que de início não causou espanto, afinal era dia de jogo, devia ser só o barulho da comemoração da vitória. Pena que não era. Mais uma fábrica de fogos de artifício foi pelos ares em Todavia. E o culpado pela explosão?! Mas é claro que era o porco do enfermeiro! Não se engane, era o porco mesmo!

Assim começa uma história hilariante, na qual vários “causos” serão contados sobre os moradores de Todavia, uma cidade baiana onde tudo acontece ao mesmo tempo.

A partir da explosão da fábrica de fogos de artifício, o narrador nos introduz a este cenário totalmente novo, uma cidade cheia de peculiaridades e personagens tão malucos, que nos fazem passar a história inteira enrolados em suas loucuras, e rindo muito de tudo isso. Em meio a essa multidão, nos é apresentada a história de Noé, um senhor que resolveu fazer seu próprio helicóptero, no quintal de sua casa, após ter um sonho maluco em que seu helicóptero salva a cidade de uma determinada situação. Ele começa sua empreitada no quintal de casa, e até data ele já marcou para a sua máquina cruzar o céu da cidade.

A repercussão da notícia do “avião de Noé” se espalha na cidade com uma rapidez absurda, todo mundo quer saber se vai dar certo e se o avião realmente vai voar. É muito bacana a maneira como o autor usou essa base da história para nos contar tantas outras histórias sobre os personagens, os moradores de Todavia, cada um tem um gancho, uma peça de quebra cabeça que no final vai se encaixando na história.

É quase impossível não comparar a história do Noé do avião, com o Noé da arca. Ambos estão construindo algo que salvará de certa maneira seu povo, e nesta obra temos a visão do povo, o que eles pensam sobre essa doideira, e se eles acreditam ou não que vai dar certo.

Mas, como já citei, o avião é só uma parte da história, o autor nos apresenta com riqueza um cenário cheio de boas histórias, pessoas que têm muito o que que contar, e que renderiam com certeza bons livros solos. Além disso, a obra traz algumas críticas. Em meio a todo o humor da história, podemos notar assuntos mais sérios, como as fábricas de fogos clandestinas, que causam muitos acidentes, e como no livro causam muitas mortes, além de produção de bebidas, política etc.

Enfim, é um universo totalmente novo pra mim, cheio de inventores, malucos e escritores (como diz a capa do livro). Tive certa dificuldade com a leitura, pois não estou acostumada com alguns termos utilizados pelo autor, o que me fez ler mais devagar e com atenção redobrada. Além disso, o autor traz muitas informações, às vezes em uma única frase, o que me fazia reler tudo para conseguir entender. A história em si é muito boa, e vale a pena dar uma chance, confesso que esperava outra coisa do livro e me surpreendi bastante, é como se o autor estivesse presente contando suas lembranças e histórias, e acho bacana quando um livro transmite essa sensação. É uma ótima pedida para quem gosta de livros nacionais!


 

Sobre o autor
Tayara Olmena Estudante que tomou gosto pela leitura aos 12 anos de idade depois que leu "A marca de uma lágrima" do escritor Pedro Bandeira. Costuma ler de tudo, mas ainda torce o nariz para o romance. Além de ler, também é viciada em séries e filmes, e não perde a oportunidade de maratonar sua série favorita.


Deixe uma resposta

  1. quarta-feira, 19 de novembro de 2014.

    Olá,

    Nunca tinha ouvido falar desse livro.Fiquei contente em conhecer. A capa dele achei super linda.
    Um porco? kkkkk' Deve ser uma leitura bem legal. Fiquei curiosa com quais termos o escritor utilizou no livro. Noé do avião. Irei pesquisar mais a respeito e me decidir se irei ler.

    Visite: http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/

    Beijos.

  2. quarta-feira, 19 de novembro de 2014.

    Olá Tayara,
    lembro que vi esse livro aqui no blog nas "Novidades da Literatura Nacional", não tinha gostado muito da sinopse, mas agora vendo de um ponto de vista diferente, a história parece mais legal. E mais engraçada! Nessa cidade tudo pode acontecer mesmo, né?!
    O título realmente me lembrou a arca de Noé, e agora faz sentido a comparação.
    Parece um livro pra descontrair 🙂
    Beijos :*

  3. segunda-feira, 24 de novembro de 2014.

    Oii 🙂
    Realmente, quando eu li o título do livro a primeira coisa que me veio a cabeço foi A arca de Nóe, mas quando li a sinopse não vi nada semelhante. Confesso que a sinopse me desanimou bem, achei ela toda confusa, a ponto de me fazer perder o interesse, mas depois que li sua resenha percebi que o livro é bom, e com um certo humor .. Eu acabei gostando e ficando curiosa .. 🙂
    Beijos :*

  4. terça-feira, 25 de novembro de 2014.

    Oie, dá uma pesquisada sim, o autor usa muito a linguagem regional por isso me confundi um pouco rs.
    Mas é uma leitura muito bacana! Bjos

  5. terça-feira, 25 de novembro de 2014.

    Olá! é sim um livro pra descontrair, e dar risada das aventuras dos moradores de Todavia, leia quando puder, acho que vai gostar 🙂
    Bjos

  6. terça-feira, 25 de novembro de 2014.

    Oii, sim a sinopse é meio confusa mesmo, é um dos pontos que me desanimou pois como a sinopse, o livro pode confundir um pouco, mas isso acontece no início da leitura, pois assim que acostumamos com a escrita do autor, a leitura flui e é bem divertido.
    Bjos

  7. sábado, 29 de novembro de 2014.

    Juro que tentei fazer uma conexão com o título do livro, a capa e a sinopse, mas não encontrei rs Esse livro parece ser bem descontraído por conta das aventuras dos moradores, mas não sei se me acostumaria com os termos utilizados pelo autor [na verdade, fiquei me perguntando que tipo de termos seriam esses]. Vou pesquisar um pouco mais sobre esse livro.

  8. segunda-feira, 1 de dezembro de 2014.

    Oi, Taynara.
    A capa desse livro é bem legal, mas apenas lendo a sua resenha não consigo ver muita relação entre ela e a estória. Achei o plot legal, e até poderia incluir esse livro na minha lista, porém o detalhe sobre o autor usar alguns termos que fogem do comum não me anima muito (ainda mais se eu precisar de um dicionario). Sempre me distraio com leituras assim, e sempre preciso ficar voltando páginas/frases para entender melhor e isso acaba deixando o livro chato.

    Beijos.
    Blog Cantar Em Verso

  9. terça-feira, 2 de dezembro de 2014.

    Primeira vez que vejo algo sobre esse livro, mas achei super bacana, parece ser bem legal e claro tem a parte que você citou que fala sobre assuntos sérios, achei a capa bem chamativa tbm, se eu passasse na livraria e visse o livro com certeza ia dar uma olhada, primeiro pela capa e pelo título que me chamaram a atenção, depois ia na sinopse pra ver do que se trata.

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: