quarta-feira, 23 de abril de 2014

paris-apaixonada-capa-viagens-de-papel

Avaliação: 3/5 Editora: LeYa ISBN: 9788580449143 Gênero: Memórias, Biografia, Não Ficção Publicação: 2014 Páginas: 360 Skoob

A ideia de tirar um ano sabático surgiu após enfrentar o mesmo câncer que havia levado sua mãe ao falecimento. Casada e com dois filhos – Ana, 11 anos, e Luca, 16 anos -, ela e a família deixaram de lado seus trabalhos e escola para participar da aventura. Nos relatos, Eloisa James conta como foi a adaptação do casal e dos filhos à nova cidade, escola, costumes e rotina parisiense.

Além de falar sobre a adaptação, a autora também fala sobre os restaurantes, lojas e locais que valem ou não a visita. O livro, inclusive, conta com um pequeno guia elaborado pela autora com dicas do que há de mais legal na cidade. Ela também traça perfis de alguns parisienses, como as madames que vão de loja em loja, ou como o aluno de italiano do marido, em busca de um amor.

A leitura é bastante fluída, mas também despretensiosa. Não leia com muitas expectativas. O interessante é justamente se deixar levar pelas histórias e curiosidades apontadas pela autora. Alguns pontos são mais arrastados, mas, em geral, a leitura é agradável. Destaca as diversidades culturais de país para país e a necessidade de adaptação. Mostra também que novas experiências trazem diversas consequências positivas: aumentam a percepção, a bagagem cultural e melhoram o senso crítico.

Os personagens são cativantes. Adorei a Anna, filha da autora, que me proporcionou diversas risadas com suas peripécias e dilemas de uma garota de 11 anos. Conforme vamos lendo os relatos, escritos durante todo o ano, acompanhamos sua mudança e amadurecimento. As mudanças de Eloisa, Luca e Alessandro também são perceptíveis, já que, durante o ano sabático, aprenderam a dar valor a coisas mais simples e assumiram outras responsabilidades.

Li o livro em e-book e não encontrei muitos erros de digitação. Os detalhes de diagramação ficaram bem bonitos, diferente da capa, que não gostei. Acho que a capa vende outro conteúdo e romantiza a história, que, além das coisas boas, fala também sobre as dificuldades que foram enfrentadas e, em alguns pontos, toca em assuntos mais delicados e pesados. Apesar disso, indico para quem se interessa por histórias não-ficcionais e relatos de viagens!

Sobre o autor
Camila Tebet Camila Tebet, 22 anos (05/06) – Paraná Jornalista, tem a literatura como uma de suas paixões. Acredita que os livros têm o poder de transformar e falar sobre essa arte é um de seus passatempos favoritos. Lê de tudo um pouco, mas os gêneros de que mais gosta são os romances românticos e chick-lit. Entre os seus livros favoritos estão "Harry Potter" (é claro), "Na Natureza Selvagem", "Orgulho e Preconceito" e "A Menina Que Roubava Livros". Também é apaixonada por séries, cinema e fotografia. Escreve também para o site www.expressocultural.com.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: